28 de outubro de 2020

RACING BRASIL

Tudo sobre automobilismo

O GP da Russia, realizado no autódromo de Sochi neste final de semana, trouxe à tona mais uma polêmica entre o hexacampeão mundial, Lewis Hamilton, e a FIA.

Tudo começou antes da largada, quando Hamilton saiu dos boxes e se encaminhava para o Pit Lane.

Lewis parou na saída do pit lane e e efetuou uma simulação de largada. Segundo os comissários da FIA, designados para esta prova, Hamilton infringiu, neste momento, dois pontos do regulamento.

Primeira infração: Efetuar simulação de largada em local não autorizado e determinado pela comissão de prova, os quais são relatados aos pilotos e equipes durante briefing.

Segunda infração: Não manter uma velocidade constante através do pit lane que compreende entrada, box e saída dos boxes.

Estas duas infrações geraram uma punição de 5 segundos cada uma, totalizando 10 segundos de “Stop and Go”, quando o piloto é obrigado a parar nos boxes e pelo período determinado, no caso de Hamilton 10 segundos, nenhum mecânico pode tocar no carro.

Hamilton, visivelmente irritado, não poupou críticas à FIA e disse: “They are trying to stop me.” – “Eles estão tentando me parar.”

Mais tarde, depois da corrida, verificando as conversas de áudio entre piloto e equipe, os comissários constataram que o erro não partiu de Hamilton, mas sim da equipe que orientou o piloto a fazer a simulação naquele local. Como consequência, os pontos antes aplicados na superlicença do inglês foram retirados e convertidos em multa à equipe.

Michael Masi, diretor de corrida da FIA, disse, em resposta às afirmações de Hamilton, que os comissários simplesmente administraram o regulamento e que o local determinado para simulações de largada é diferente em cada circuito, sempre levando-se em conta a segurança dos pilotos.

FIA e Hamilton não vem se entendendo desde o GP da Toscana, em Mugello – Itália – quando o piloto da Mercedes vestiu uma camisa pedindo a prisão dos policiais americanos pela morte de Breonna Taylor.

A FIA considerou o ato uma manifestação política e proibiu Lewis de repetir o que fez no pódio da Itália. Foi avaliada uma possível punição para Lewis, mas a comissão da FIA acabou optando por uma advertência.

Segundo determinação da FIA, os pilotos devem participar da cerimônia de premiação e entrevistas vestidos com o macacão e o mesmo deve permanecer fechado.

O fato é que Lewis perdeu a chance de igualar o recorde de vitórias (91) de Michael Schumacher. Agora, a próxima oportunidade de Hamilton igualar tal feito será no GP da Alemanha, no dia 11 de outubro, quando todas as atenções estarão, mais uma vez, voltadas para o hexacampeão.

%d blogueiros gostam disto: