31 de outubro de 2020

RACING BRASIL

Tudo sobre automobilismo

Depois que o time de Grove foi vendido para o Grupo Dorilton de Investimentos teve início o processo de reestruturação da equipe.

A intenção é trazer de volta a Williams ao patamar que sempre mereceu, entre as grandes equipes da Fórmula 1. Com um grande histórico de vitórias e títulos, tanto de pilotos quanto de construtores, a equipe fundada por Frank Williams vinha passando por sérios problemas financeiros, já há alguns anos.

Segundo Simon Roberts, agora, com essa injeção de capital, a Willians poderá trabalhar com orçamentos próximos ao da Mercedes e da Ferrari, já na próxima temporada de 2021.

Em 2021 um novo teto orçamentário para as equipes entra em vigor. O valor é de máximo que poderá ser investido no desenvolvimento dos carros será de $145 milhões. Neste valor não se incluem despesas como salários de funcionários e pilotos, nem custos com divulgação e marketing.

Para a atual temporada (2020), segundo Roberts, não existe prazo viável para melhorias, pois já estamos na metade da temporada há pouco mais de dois meses para o seu encerramento. Mas, para o próximo ano é possível trabalhar para trazer as melhorias necessárias.

Porém, equipe e investidores precisam, também, pensar no novo regulamento para 2022 que trará as mudanças mais significativas e poderá nivelar a disputa entre equipes e pilotos.

“Nosso orçamento é baseado em atingir o limite de custo”, disse Roberts. “Este ano é tarde demais. Mas para o próximo ano, estamos analisando o que podemos fazer e agora temos as finanças para fazer isso. Só vamos gastar dinheiro e investir onde fizer sentido. ”

Vamos torcer para que os investimentos venham e tudo saia como planejado, só assim poderemos ver a Williams de volta ao topo, lugar de onde nunca deveria ter saído!

%d blogueiros gostam disto: