25 de outubro de 2020

RACING BRASIL

Tudo sobre automobilismo

Kimi-Matias Raikkonen, Kimi Raikkonen ou, simplesmente Kimi… ah, é claro, não podemos esquecer “o homem de gelo”.

Neste final de semana, no circuito de Nurburgring, na Alemanha, o finlandês, campeão mundial de Fórmula 1 em 2007, atingirá a incrível marca de 323 Grand Prix disputados, um GP a mais que o brasileiro Rubens Barrichello, com 322 largadas na F1.

Para muitos uma marca a ser comemorada, mas estamos falando de Kimi Raikkonen, o “homem de gelo”, e para ele tudo parece ser tão banal que a quebra de um recorde não chega a incomodar o piloto mais experiente em atividade na F1.

Sobre a quebra do recorde Raikkonen disse:

“Todo recorde será quebrado em algum momento na maioria dos esportes”, disse ele. “É assim que [sempre] aconteceu. Mas eu já disse isso muitas vezes, eu não acho, definitivamente para mim, não faz diferença agora. Mas talvez no futuro, quando eu olhar para trás, seja qual for o número ou a posição, talvez eu olhe para isso de uma forma um pouco diferente. “

Atrás de Kimi e Barrichello está Fernando Alonso com 311 provas disputadas. Com a volta do espanhol à F1 e se Kimi não conseguir permanecer no Grid na próxima temporada, Alonso pode bater esse recorde.

A origem do apelido do finlandês se deve ao fato de ser tão frio e indiferente às suas conquistas. Quantas vezes pudemos ver Kimi no ponto mais alto do pódio sem sequer esboçar um sorriso de contentamento; perdemos a conta de ouvir as frases duras e com respostas diretas e sarcásticas para os engenheiros durante as corridas.

Räikkönen nasceu em Espoo, na costa sul da Finlândia. Teve uma longa linha de sucesso no kart a partir dos seus 10 anos de idade. Sua primeira corrida fora da Finlândia foi em Mônaco, aos 15 anos de idade. Durante a corrida, a barra de direção quebrou, mas Räikkönen continuou correndo, informando seu mecânico chacoalhando freneticamente o volante ao passar pela reta principal do circuito.

A corrida seguinte de Räikkönen em Mônaco também foi memorável; foi atirado para o lado errado da área de escape numa colisão já na primeira volta, mas continuou dirigindo até que o asfalto acabasse. Confiante, levantou o kart e o colocou de volta na pista e continuou a correr. Seu mecânico achou que Räikkönen estava fora da prova, mas ele disputou a corrida e terminou em terceiro.

Em 1998 ele foi o primeiro no Campeonato Nórdico de Kart em Varna, na Noruega. Em 1999, Räikkönen ficou em segundo no Campeonato Europeu de Formula Supor A, também competindo na Copa Europeia de Fórmula Ford. Com vinte anos, venceu a série de inverno do Fórmula Renault Inglesa de 1999, vencendo as primeiras quatro corridas do ano. Em 2000, venceu sete das dez provas do Fórmula Renault Inglesa. Combinados, venceu 13 das 23 corridas – uma taxa de 56% de vitórias.

Os bons resultados na Fórmula Renault chamaram a atenção de Peter Sauber. O piloto fez alguns testes com bons resultados no circuito italiano de Mugello e a Sauber decidiu contratá-lo como piloto reserva em 2000, o que foi o início de sua carreira na Fórmula 1.

Após estrear na Sauber Kimi passou pela McLaren, Ferrari (onde foi campeão mundial), Lotus e Alfa Romeo.

Vamos ver como Raikkonen irá comemorar este feito histórico!

%d blogueiros gostam disto: