28 de outubro de 2020

RACING BRASIL

Tudo sobre automobilismo

“Frio até os ossos.” Essas foram as palavras de George Russell enquanto falava à mídia em Nurburgring nesta quinta-feira. Talvez essa tenha sido a melhor frase para descrever o clima no autódromo.

Foi uma quinta-feira de chuvas e temperatura em torno de 7 graus centígrados, durante todo o dia, e um vento cortante que deixa tudo ainda mais frio. Mas para a sexta-feira a previsão é ainda pior, com a mínima chegando a 2 graus e chuvas de várias intensidades durante o dia.

Uma situação que há muito tempo não se via na Fórmula 1. A última vez que tivemos algo parecido foi no GP do Canadá de 1978, quando a temperatura chegou a 9 graus e houve granizo e neve durante a cerimônia de premiação.

Pneus frios e relargadas no meio da corrida serão um desafio para os pilotos, enquanto eles lutam para obter as temperaturas ideais para os pneus. “Acho que vai ser bastante desafiador”, disse Kevin Magnussen, piloto da Haas. “Safety Cars na corrida pode ser um grande problema.”

Daniel Kvyat comentou: “Vai ser interessante entender na sexta-feira o que fazer para o carro funcionar melhor nessas condições, esse vai ser o desafio…”

A Pirelli, sem nenhuma experiência recente na Fórmula 1 em Nurburgring, optou por trazer três compostos para pneus no meio de sua gama de opções, que eles acreditam serem adequados para as diversas demandas da pista alemã.

“Os pneus correrão o risco de granulação quando eles estiverem muito frios”, disse Russell. “Os que optarem por pneus duros vão ter muita dificuldade, mas parece que vai estar molhado durante o fim de semana, então isso será interessante, vamos torcer.”

Pierre Gasly também falou sobre o tempo e o que esperar da corrida: “…Mas, nesse tipo de situação, também traz boas oportunidades. Acho que será muito importante para nós garantir que estamos fazendo tudo perfeitamente, porque pode haver grandes oportunidades no domingo.”

“Mas vai ser um desafio para nós, temos de confiar logo no que sentimos, o que pensamos ser a coisa certa a fazer no carro. E o mesmo no lado da engenharia; Acho que vai ser muito importante seguir a direção certa imediatamente, não se atrasar ou não perder tempo na pista para garantir que obteremos o máximo de nosso pacote. ”

Será um final de semana interessante onde o talento de cada piloto pode fazer a diferença no resultado da corrida.

A Mercedes, certamente, continua a grande favorita mas, não há como prever o comportamento do carro, de qualquer equipe, em uma situação como esta.

A partir desta sexta-feira, durante os treinos livres, poderemos fazer uma previsão do que vem para o domingo. Emoções, surpresas…. Quem sabe!

%d blogueiros gostam disto: