28 de novembro de 2020

RACING BRASIL

Tudo sobre automobilismo

O piloto Lance Stroll, da Racing Point, revelou que testou positivo para coronavírus após o fim de semana do Grande Prêmio da Eifel.

O canadense, que sequer chegou a participar dos treinos FP3 e Qualifying do GP de Eifel, não estava bem e apresentou vários sintomas de Covid-19 na corrida de Nurburgring, mas não foi testado durante o final de semana da corrida.

O fato de Stroll ter circulado entre seus companheiros de equipe – mecânicos, chefes e engenheiros – enquanto estava infectado e, portanto, sendo um transmissor em potencial, coloca dúvidas sobre o “rígido sistema de controle” criado pela FIA que, agora deve ser ainda mais rígido, para conter as transmissões entre as pessoas que trabalham durante um Grande Prêmio.

Stroll é a prova de que o sistema possui falhas e precisa ser revisado ou “endurecido” para que possa evitar o contagio de outras pessoas e, o campeonato possa seguir até o seu final sem maiores problemas.

Durante o GP de Eifel, um membro da equipe Mercedes foi diagnosticado com coronavírus e, segundo informações, todos os companheiros que tinham contato direto com ele – “dentro de sua bolha de trabalho” – foram afastados.

Racing Point não relatou a doença de Stroll no Grande Prêmio da Eifel ao órgão regulador, a FIA, como um caso potencial da Covid. O código de protocolos da FIA para lidar com a Covid-19 diz que os participantes devem “cumprir as instruções de sua parte interessada (equipe) e do Delegado da Covid-19” se “o teste for positivo para o vírus Covid-19 ou ela começa a sofrer de quaisquer sintomas de Covid-19 “.

A situação levanta uma série de questões incômodas para os chefes da equipe Racing Point, que pertence ao pai de Stroll, o bilionário canadense Lawrence Stroll.

O chefe da equipe, Otmar Szafnauer, disse no Grande Prêmio da Eifel que estava “confiante” de que Stroll não tinha coronavírus, apesar de ter “sintomas semelhantes aos de uma gripe”, dor de estômago e “simplesmente não estava bem e não conseguia se exercitar”.

Stroll foi testado na terça-feira antes do fim de semana da corrida, mas não enquanto estava na Alemanha. Ele acrescentou que Stroll “não tem sintomas clássicos de Covid-19”, embora febre, fadiga e diarreia estejam listadas como três possíveis sintomas de Covid-19.

A BBC Sport pressionou Szafnauer sobre a questão de por que ele não havia sido testado novamente, apesar do fato de que seus sintomas estavam entre aqueles conhecidos por serem indicadores potenciais de coronavírus. Szafnauer respondeu que Stroll teve alguns dos sintomas durante o período entre o Grande Prêmio da Rússia e do Eifel, mas teve resultado negativo “várias vezes”.

O comunicado de Stroll disse: “Cheguei a Nurburgring depois de um teste negativo nos testes normais de pré-corrida. No sábado de manhã comecei a me sentir mal e acordei com dor de estômago. Segui o protocolo da FIA (Covid) e me isolei no meu motorhome e não entrei novamente no paddock.”

“Não estava em forma para correr, por isso voltei para casa no domingo de manhã. Como ainda me sentia indisposto, fiz um teste com Covid na noite de domingo. No dia seguinte, os resultados foram positivos, então fiquei em casa me isolando pelos próximos 10 dias.” – Ele disse que agora estava “se sentindo 100%”.

%d blogueiros gostam disto: